Em novembro de 2003, na Austrália, nasceu a campanha de conscientização contra o câncer de próstata, com o objetivo de chamar a atenção para a prevenção e o diagnóstico precoce da doença que atinge os homens. A ideia surgiu para quebrar tabus sobre a doença e conscientizar a população masculina.
Diariamente, 42 homens morrem em decorrência do câncer de próstata e, aproximadamente, 3 milhões vivem com a doença e é ainda, a segunda maior causa de morte por câncer do sexo masculino no Brasil.
Normalmente o número de mulheres que procuram ajuda médica para prevenção de doenças é muito maior do que homens, algo que é preocupante, pois, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), cerca de 53% dos homens nunca foram a um urologista.
Conversamos com o doutor Gabriel Munhoz, médico residente em um Hospital de Ribeirão Preto, que esclareceu algumas dúvidas e explicou o que é o câncer de próstata.
O que é o câncer de próstata?
Dr. Gabriel – “É o crescimento celular sem controle. As células se multiplicam e não tem um “stop”. Isso faz com que o órgão cresça e se ramifique.”
Quais são os principais sintomas do câncer de próstata e como saber se ele está no estágio inicial?
Dr. Gabriel – “A próstata fica atrás da bexiga na frente da parte final do intestino. A uretra é o canal que leva a urina da bexiga. A parte periférica da próstata é a a parte que tem mais chances de desenvolver o câncer. O paciente pode ter alterações na urina, ele sente que sempre está com a bexiga cheia e as vezes pode ocorrer sangramento na urina. Isso faz com que o portador do câncer tenha uma qualidade de vida deficitária.”
Quais os fatores de risco para desenvolver o câncer de próstata?
Dr. Gabriel – “Pacientes que não tem uma alimentação adequada, com alimentos gordurosos e uma dieta desbalanceada, sedentarismo e principalmente histórico familiar, se já teve algum caso de câncer de próstata na família.”
A campanha para o novembro azul deste ano abordou o tema Homem que se cuida é homem de atitude”, com a ideia de incentivar a procura de médicos especialistas e principalmente, a realização do “exame de toque”, que é responsável por diagnosticar até 70% dos casos de câncer, segundo o doutor Gabriel Munhoz.
Através dos exames e do diagnóstico precoce, o estado do paciente com a doença pode ser revertido, principalmente se a doença estiver em seu estágio inicial.
Para saber mais sobre o assunto, acesse o canal no YouTube Ecoa Vulpis e assista a entrevista completa com o doutor Munhoz.