Saúde mental e quarentena

Saúde mental e quarentena

Março de 2020 –

 

Especialista indica o que é necessário para manter o equilíbrio em condições de isolamento social

Após a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarar a partir do dia 11 de março de 2020 a situação de pandemia de Coronavírus (COVID-19), milhares de pessoas aderiram o período de quarentena e desde então autoridades estaduais e municipais vem tomando algumas providencias para que a população respeite esse período de isolamento social.

O que é quarentena? Para que serve?
A palavra quarentena foi usada pela primeira vez em Veneza, em 1127, para casos de hanseníase e foi amplamente usada em resposta à peste bubônica séculos depois.
É um período de isolamento social e restrição de movimentação de pessoas que foram potencialmente expostas a uma doença contagiosa. O objetivo é, nesse período, determinar se eles se sentem mal ou se desenvolvem sintomas, o que reduz o risco de infectar outras pessoas.

O que nos preocupa nesse período, além do contagio e dos números de casos registrados a cada dia é também como fica a saúde mental de milhares de pessoas, que foram de certa forma obrigadas a abandonar sua rotina ativa de muitos anos, para ficar em casa as vezes sem absolutamente nada para fazer.

Segundo a psicóloga comportamental Francini Olivo, o maior desafio para o ser humano é aceitar o momento de quarentena sem pensar no futuro, ou seja, aceitar aquilo que está sentindo naquele momento. Ela destaca o medo, a ansiedade e a falta de rotina, como um dos principais efeitos para não manter o equilíbrio mental nesse período.

 “O medo nos priva de situações e se torna um problema quando ultrapassa o limite e autocontrole, tornando-se disfuncional e impedindo as pessoas de seguir a sua rotina e seus afazeres normalmente”, explica a profissional que complementa:  “a falta de rotina gera uma desorientação atencional, as pessoas se sentem mais confusas, menos concentradas e mais cansadas”, avaliou.

 

Pensando nesse período de quarentena e isolamento social, separamos algumas dicas da psicóloga Francini Olivo,para manter sua rotina e saúde mental em equilíbrio:

1 – Mantenha sua rotina o mais próximo do comum:  horário de acordar, se alimentar, improvise seus exercícios físicos e reserve um tempo para estudar e trabalhar;

2 – Mantenha o auto cuidado e higiene: não fique o dia todo de pijama, sem tomar banho e se arrumar, mesmo que seja só para ficar em casa.

3 – Não fique assistindo TV o dia todo: escolha uma  hora para se atualizar, pois uma quantidade excessiva de notícias podem causar pânico e sentimentos ruins.

4 – Fiquem atentos aos grupos de Whatsaap: se os conteúdos não tiverem te fazendo bem, saia deles.

5- Use a tecnologia para se conectar com as pessoas que você ama: sem precisar sair de casa, façam ligações de vídeo com amigos e familiares.

E a dica mais importante e essencial de todas:  se não estiver conseguindo seguir essas dicas, procure um especialista. Existem psicólogos realizando atendimentos online.

Estamos todos juntos nessa quarentena, cuidem-se e mantenham o equilíbrio e a positividade.

De fotógrafo amador a grandes coberturas mundiais, conheça José Mário Dias

De fotógrafo amador a grandes coberturas mundiais, conheça José Mário Dias

Março de 2020 –

Fanático por automobilismo, José Mario Dias começou a frequentar corridas da Stock Car aos 15 anos de idade, acompanhando o piloto Alceu Feldmann. Tempo depois, abriu uma empresa de desenvolvimento de sites, no início da internet, e ofereceu o serviço para o piloto.

 

“Comecei a usar o site como desculpa para ir nas corridas, para criar conteúdo, mas, na verdade, era só para estar lá”. Assim, começou a fazer fotos amadoras e acabou conhecendo o jornalista João Otávio Ness, assessor de impressa e fundador de um site de automobilismo.

 

Ness passou a pedir para Dias fazer fotos para o site dele e criar galerias e conteúdos. “Até que, em 2007, João me convidou para fotografar todas as etapas do Brasileiro de Rally e da Copa Pegeout”, diz. Foi ai que mudou de Campo Mourão, foi para Curitiba e se tornou profissional.

 

Os primeiros anos foram difíceis, bancando as próprias coberturas, mas, apesar disso, nunca mais parou. Hoje, já fotografou as principais categorias de corridas automobilísticas do mundo e tem um apreço especial pelas corridas de longa duração.

 

Ouça a entrevista completa!  José Mario Dias .

Foto: Haroldo Nogueira

Estácio promove evento com foco em orientações para declaração do imposto de renda

Estácio promove evento com foco em orientações para declaração do imposto de renda

Março de 2020 – O Centro Universitário Estácio de Ribeirão Preto promoveu na quinta-feira, 12, um evento para orientar sobre a declaração do imposto de renda e evitar, entre outras instruções, a cair na malha fina em razão de informações declaradas de forma inconsistente.

O evento contou com a presença do Delegado da Receita Federal da cidade, Glauco Peter Guimarães, que deu todas as dicas para o público.  A noite também contou a apresentação do Quarteto de Cordas da Orquestra Sinfônica. Na ocasião, o público presente recebeu instruções de como destinar parte do imposto de renda para a Orquestra, que esse ano de 2020 está completando 99 anos de existência.

As atividades contemplaram também uma dinâmica com profissionais da empresa Vox 2 You, que abordou a oratória de forma prática e descontraída.

 

Atendimento à comunidade – O encontro também marcou o início dos atendimentos que serão feitas à comunidade com foco na orientação para declaração do imposto de renda, conduzidos pelo Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal (NAF) da Estácio. Os atendimentos acontecem de segunda a sexta-feira, das 17h às 20 horas e os agendamentos podem ser solicitados pelo e-mail alessandra.santana@estacio.br, pelo telefone (16) 3523-4168 ou pelo WhatsApp (16) 99238-1414.  A Estácio fica localizada na rua Abrahão Issa Halach, 980 -Ribeirânia.

 

Fotos: Maria Eduarda Ferné

Organização Mundial da Saúde (OMS) declara pandemia de corona vírus

Organização Mundial da Saúde (OMS) declara pandemia de corona vírus

A presença do novo coronavírus (Covid-19) em todos os continentes tem causado preocupação sobre a capacidade de reação global a doença. Segundo diretor da OMS há mais de 116 mil casos em 114 países e 4.291 pessoas morreram o que levou o órgão a declarar situação de pandemia.

Pandemia é a propagação mundial de uma nova doença, ou seja, é pandemia uma doença espalhada em todo o mundo, que afeta um grande número de pessoas e que tenha transmissão sustentada de novos casos nesse mesmo local.

Em todo o mundo, eventos estão sendo cancelados, escolas fechadas, grandes concentrações de pessoas sendo inibidas para evitar a dispersão do vírus. Temos como exemplo recente de alerta mundial a Liga norte-americana de basquete NBA que suspendeu a temporada instantes antes da partida, após um dos atletas ter um diagnóstico preliminar de infecção do novo coronavírus.

No Brasil segundo o Ministério da Saúde, foram confirmados 52 casos do coronavírus, porém em São Paulo foi confirmado mais 16 atendimentos de novos casos e na Bahia, mais um. Sendo assim, a conta no país deverá subir para pelo menos 69 casos. Na contagem oficial da pasta até 12 de março, os números ficaram assim até quarta-feira: São Paulo (30), Rio de Janeiro (13), Bahia (2), Espírito Santo (1), Minas Gerais (1), Alagoas (1), Distrito Federal (2) e Rio Grande do Sul (2).


 Para complementar as informações e saber mais sobre o vírus e prevenção, o Publicast  falou com o Médico infectologista e Professor da Estácio Iris Ricardo Rossin.
Confira http://publicast.com.br/corona-virus-prof-iris-ricardo/

O dia que deveríamos comemorar o feminismo

O dia que deveríamos comemorar o feminismo

Por definição, um dos significados de feminismo, na acepção do dicionário, nos diz que a palavra remete ao “movimento que combate a desigualdade de direitos entre mulheres e homens”[1].

 

Vale reforçar que o feminismo não combate o sexo masculino, mas sim o machismo – opinião ou atitudes que discriminam ou recusam a ideia de igualdade dos direitos entre homens e mulheres – além da definição presente no dicionário, o machismo cria uma hierarquia social com base nos gêneros.

 

O início e as Ondas

 

No Ocidente, o Feminismo iniciou-se a partir do século XIX, reivindicando os mesmos direitos dados ao homem, para as mulheres.

A Primeira Onda, conhecida como sufragismo, é a luta pelo direito de as mulheres votarem.

A Segunda Onda – 1960 – é marcada pelas ideias, debates e questionamentos levantados por pensadoras feministas e ativistas.

A Terceira Onda, iniciada no ano de 1990, designada como pós-estruturalista, deixa de lado uma utopia das vivências das mulheres brancas e da classe média,  preocupando-se em olhar todas as mulheres, pela crença de diferença no próprio sexo.“ (LOURO, 2003; MEYER, 2013).

 

Nossa homenagem

 

Em 2019, durante a disciplina Teoria da Comunicação, as alunas do curso de Publicidade e Propaganda da Estácio Ellen M. Solazzo, Jaqueline L. De Oliveira e Larissa G. Colombo produziram um paper com o tema: As Mulheres heroínas na contemporaneidade: do fictício ao real, relacionando personalidades feministas importantes no mundo real e no cinema.

Uma das personalidades do mundo real citadas no paper é Marielle Franco, assassinada em março de 2019. Ela foi eleita vereadora do Rio de Janeiro com mais de 46 mil votos. Criou diversos projetos que ajudam a vida das mulheres, como o “Assédio Não É Passageiro”, que consiste em informar a importância de denunciar o assédio sexual às mulheres no transporte público, e o projeto “Casa de Parto”, que realiza partos com desfechos favoráveis à saúde da mulher.

 

Convite a se aprofundar no assunto

 

Nos meses de fevereiro, março e abril, o clube do livro do SESC de Ribeirão Preto em parceria com o Observatório do Machismo traz como tema “A desnaturalização do machismo”, com a presença do Prof. Dr. Hélio Hintze no papel de mediador das discussões sobre o assunto.

 

O primeiro encontro abordou o livro “A dominação masculina – a condição feminina e a violência simbólica” de Pierre Bourdieu (1998). Os assuntos discutidos foram: naturalização como procedimento sociológico, perpetuação de ideias sociais como sendo dados na natureza e as consequências disso, como, a dificuldade da crítica a tais ideias.

 

O segundo encontro acontece no dia 21 de março (sábado), às 16h, e abordará o livro “O que é um homem? – Psicanálise e história da masculinidade no Ocidente” de Pedro Ambra. A atividade será na Biblioteca (ambiente ideal para um debate saudável) e são 30 lugares, por ordem de chegada.

 

 

O terceiro encontro ainda não teve sua data divulgada no site, mas o livro abordado será o “O homem subjugado: O dilema das masculinidades no mundo contemporâneo” de Malvina E. Muszkat.

 

Não há necessidade de ter participado dos encontros anteriores e mesmo que não seja possível sua presença  no encontro, os livros estão disponíveis em PDF e conhecimento é liberdade.

 

 

*Júlia é aluna do curso de Publicidade e Propaganda da Estácio de Ribeirão Preto e integrante do NUCOM.

[1] Fonte: https://www.dicio.com.br/

 

Confirmada segunda edição do Prêmio Jornalístico Nicola Tornatore em Ribeirão Preto

Confirmada segunda edição do Prêmio Jornalístico Nicola Tornatore em Ribeirão Preto

Março 2020 – Está confirmada segunda edição do Prêmio Jornalístico Nicola Tornatore em Ribeirão Preto. Concurso é promovido pelo Instituto Ribeirão 2030, ACI (Associação Comercial e Industrial) e Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) e homenageia Nicola Tornatore, profissional que trabalhou por três décadas no jornalismo ribeirão-pretano.

O concurso, além de incentivar a produção de reportagens investigativas e o uso eficiente de recursos públicos, vai premiar as melhores reportagens sobre corrupção, transparência, ineficiência no uso de recursos públicos e controle social no município.

A seleção vai ser feita por uma comissão constituída por integrantes do Instituto Ribeirão 2030, ACI, Ciesp, professores dos cursos de jornalismo da Unaerp, Estácio e Barão de Mauá e representantes do Comitê Municipal de Transparência, seguindo os critérios de pontuação previstos no regulamento já disponível no site oficial da Instituição Ribeirão 2030.
 
O prêmio está dividido em duas categorias: jornalistas profissionais e universitários.
A primeira edição do evento contou com a participação da aluna da Estácio Maria Eduarda Dias. Confira aqui a matéria enviada para a premiação na primeira edição ( http://publicast.com.br/poder-transparente-o-uso-da-tecnologia-na-prestacao-de-contas-municipais/).
As inscrições serão abertas no segundo semestre e a premiação será realizada em setembro. Poderão ser inscritas reportagens publicadas entre 1 de janeiro e 15 de agosto de 2020. Ao todo, serão distribuídos R$ 2,7 mil em prêmios.